Makiwara

makiwara alemdotatame - Makiwara

As artes marciais trazem muitos benefícios para os praticantes como o aprendizado, a disciplina, a filosofia e também as técnicas de combate, defesa pessoal e competição desportiva. Além disso há também os aspectos culturais, relacionados ao país onde a arte nasceu ou se desenvolveu, como é o caso de Okinawa, Japão.

A palavra Makiwara é bem conhecida pelos praticantes de Karatê e também do Judô. Maki significa enrolar e Wara significa palha, logo a tradução é “enrolar em palha”.Trata-se de uma haste de palha (de arroz) que serve para o treinamento do praticante, para o desenvolvimento preciso e efetivo dos golpes de mãos e pernas. Ele é similar ao Mudjong, boneco de madeira utilizado pelos chineses e praticantes de Kung Fu para o desenvolvimento de golpes, tendo a finalidade parecida com a de um saco de pancada.

O treinamento no makiwara não é simplesmente socar e chutar, mas refinar e melhorar o que se aprende no tripé do Karateca (Kihon, Kata e Kumite).

 

Tipos de makiwara utilizados no karatê para calejamento e fortalecimento de punho
Em ordem: makiwara utilizado no Kyudô, o tou-makiwara, o sagi-makiwara e o tachi-makiwara

 

Existem diversos tipos de makiwara: no Kyudô (arte marcial com arco e flecha) é utilizado rolos de palha com esse mesmo nome como alvo de flechas, o tou-makiwara, que são talos de bambu amarrados, utilizados para nukite, o sagi-makiwara, um tronco com cordas em volta suspenso pelos dois lados e o mais conhecido, tachi-makiwara.

Normalmente os alunos de nível intermediário e avançado praticam no Makiwara. Essa importante ferramenta de treino ajuda no fortalecimento de punho e também precisão e efetividade dos golpes, com constância e cuidado. Nakayama Sensei (1988), discípulo de Funakoshi Sensei, dizia que o Makiwara é a alma do Karatê e não deve ser dispensada nem por um dia.

Claro que Nakayama não restringe o Karatê ao Makiwara. Tanto ele, como os mestres da arte sabem e recordam que o treino não pode ser esquecido: “É importante desenvolver os punhos e os pés constantemente com o uso do makiwara, enquanto ao mesmo tempo desenvolve as técnicas praticando o kata e o kumite (Karatê Do Kyohan, p.269)”.Após o termino deste texto, há referência com ótimos materiais e explicações sobre makiwara e até como fazer um! Que o conhecimento e a cultura da arte possa fortalecer o desejo dos praticantes crescerem sempre!

Treino com Makiwara do Sensei Mitsuo Ishibashi (9º Dan), presidente da Shorin-Ryu Jyureikan Honbu Dojo (Japão) de 2011. Créditos: Flávio Vicente de Souza

Ganbarimashou minna-san! Oss!

 

Referências:
O melhor do Karatê, vol.1 – Nakayama, M.
Karatê Do Kyohan – Gichin Funakoshi
Full Potential Martial Arts

Mushinkan – A Estrutura da Academia

Pinto Dojo

Taigen Karatê

Sochin Dojo


*Este post foi escrito por Diego Kubota, formado em Biblioteconomia. É faixa roxa em karatê Shotokan. Gosta de livros e de HQ e curte um cinema junto de um bom cafézinho.